TÉCNICOS SÉRIE A2: Palavra para 2017 será ‘planejamento’

Apenas dois clubes ficarão com o acesso à elite do futebol estadual, enquanto seis conhecerão a Série A3

O futebol já provou, em mais de uma ocasião, que não tem como alcançar grandes objetivos sem implementar um projeto (sem piadas com o técnico Luxemburgo), ou seja, sem um planejamento. Com as novas regras acordadas no Conselho Arbitral da Série A2 do Campeonato Paulista, apenas dois clubes ficarão com o acesso à elite do futebol estadual, enquanto seis conhecerão a Série A3, também chamada de ‘boca do inferno’.

Só este ano pudemos ver um exemplo claro desta máxima: o técnico Cuca assumiu no início da temporada e não largou mais. Resultado? Palmeiras campeão brasileiro pela nona vez em sua história. Por outro lado, clubes como São Paulo e Corinthians, rivais do alviverde, trocaram de comissão técnica mais de uma vez em 38 rodadas e não puderam colher bons frutos – ambos disputarão apenas a Sul-Americana em 2017.

Diante disso, a temporada de um clube passa pela escolha do seu treinador, que na maioria dos casos acontece meses antes de fechar o ano anterior. Mas, com a concorrência apertada pelo acesso na Série A2 de 2017, o planejamento se tornou um assunto cotidiano nos clubes do interior, que vêem gigantes como São Caetano, Bragantino, Guarani, Portuguesa e XV de Piracicaba também brigando pelo mesmo objetivo.

Ney da Matta, ex-Boa Esporte, será o técnico do Guarani para a competição

Ney da Matta, ex-Boa Esporte, será o técnico do Guarani para a competição

Justamente por isso dois clubes resolveram nadar contra a corrente e manter seus treinadores de 2016 para a próxima temporada. Recém rebaixado da Série A1, o Rio Claro é o primeiro exemplo. Sérgio Guedes chegou ao clube no início de fevereiro, após a saída de Luiz dos Reis. Após um início de temporada abaixo do esperado, o treinador não conseguiu evitar o descenso.

Outro que será mantido para mais um estadual é Luiz Carlos Martins, que mais uma vez tocará o planejamento do São Caetano para a segunda divisão, onde está desde 2013. O clube do ABC Paulista enfrente seu pior momento na história. Campeão estadual de 2004, o clube chegou a disputar o Campeonato Brasileiro, mas hoje segue sem divisão e almeja a elite estadual para retornar à Série D.

CASOS ESPECIAIS

Há também entre os treinadores, quatro que se destacam por características muitos peculiares. O primeiro é Cléber Gaúcho, que já foi confirmado no comando do XV de Piracicaba. Ele vem de um título da Copa Paulista em cima da Ferroviária e se tornou o primeiro treinador na história do Nhô Quim como único campeão como comandante e jogador, já que levantou o caneco da Série C do Campeonato Brasileiro de 1995.

Quem também chama a atenção é Alberto Félix, que vinha trabalhando no Sub-20 do Bragantino e agora terá a difícil missão de assumir o time principal. Ele já comandou o elenco na Copa Paulista deste ano, mas viu os companheiros de clube serem rebaixados na Série B do Campeonato Brasileiro. Ele agora terá que ajudar na reconstrução, que passa por um tão sonhado acesso na segunda divisão estadual.

Completando a lista aparecem Wilson Júnior e Mário Júnior. O primeiro será o técnico do Juventus da Mooca no lugar de Rodrigo Santana, que estava a frente do grupo desde 2013, quando tirou o clube da terceira divisão. A chegada de um novo comandante pode trazer novos ares. O outro será o treinador interino do Mogi Mirim, que até agora não confirmou nenhum comandante para a próxima temporada.

Cléber Gaúcho é o único treinador na história do XV de Piracicaba que foi campeão como jogador e treinador

Cléber Gaúcho é o único treinador na história do XV de Piracicaba que foi campeão como jogador e treinador

ESPERANÇA!

Ney da Matta e Tuca Guimarães não terão vida fácil em 2017. O primeiro é o atual campeão da Série C do Campeonato Brasileiro com o Boa Esporte e agora terá que conduzir o Guarani de volta a elite do futebol paulista. Ele assinou logo após a final, com a saída de Marcelo Chamusca, e parece estar ciente da responsabilidade – ele vem reforçando o elenco campineiro.

E o técnico Tuca Guimarães fez um caminho parecido. Ele recebeu uma proposta do Boa Esporte justamente para substituir Ney da Matta e chegou a sinalizar uma resposta, mas quando estava muito próximo de assinar, recebeu uma ligação da Portuguesa e voltou para o estado de São Paulo. Com a Lusa o projeto é complicado: ao lado de Leão, ele terá que tirar o clube da Série A2 e da Série D do Campeonato Brasileiro.

Confira a lista de técnicos da Série A2 2017:

Água Santa – Jorginho
Barretos – Márcio Ribeiro
Batatais – Alexandre Ferreira
Bragantino – Alberto Félix
Capivariano – Élio Sizenando
Guarani – Ney da Matta
Juventus – Wilson Júnior
Mogi Mirim – Mário Júnior (interino)
Oeste – Vilson Tadei
Penapolense – Edison Só
Portuguesa – Tuca Guimarães
Rio Claro – Sérgio Guedes
Rio Preto – Luciano Dias
São Caetano – Luiz Carlos Martins
Sertãozinho – Júlio Sérgio
Taubaté – Evaristo Piza
União Barbarense – Leivinha
Velo Clube – Álvaro Gaia
Votuporanguense – Ito Roque
XV de Piracicaba – Cléber Gaúcho

No votes yet.
Please wait...
Voting is currently disabled, data maintenance in progress.

Comments

comments

Um comentário em “TÉCNICOS SÉRIE A2: Palavra para 2017 será ‘planejamento’

Fechado para comentários.